´Setembro Amarelo

Dia 01 se deu início o Setembro Amarelo, o chamado mês de prevenção ao suicídio. A origem da campanha e a escolha da cor veio da história de Mike Emme (EUA, 1994), um jovem de 17 anos que tirou a própria vida em seu mustang amarelo, pintado desta cor por ele mesmo. No funeral, amigos e familiares distribuíram cartões com fitas amarelas e palavras de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike: “se você está pensando em suicídio, entregue este cartão a alguém e peça ajuda”. A ideia era incentivar quem precisava a expor sua situação, e a mensagem foi se espalhando mundo afora.

A campanha tem como meta conscientizar as pessoas sobre a realidade do suicídio e de que este pode sim ser evitado – em tempo oportuno, com base em evidências e com intervenções de baixo custo, esse fenômeno poderia ser prevenido em mais de 90% dos casos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Um dos maiores empecilhos, porém, é que esse tema ainda é cercado de tabus e preconceitos; saiba, contudo, que as doenças da mente, assim como as cardíacas, renais ou endócrinas, são tratáveis. Contribuir para quebrar o estigma abordando o assunto com responsabilidade favorece o trabalho de conscientização e prevenção, que necessita da colaboração abrangente e integrada entre múltiplos setores da sociedade para que se tenha efetividade.


Na prática, no entanto, esse movimento PRECISA acontecer durante o ano INTEIRO:

Não adianta lembrar dessa questão só em setembro e pensar em prevenção somente por um mês; te contamos o porquê: o suicídio é considerado um problema de saúde pública, matando 1 pessoa a cada 40 segundos em todo o mundoe a cada 45 minutos, essa pessoa é um(a) brasileiro(a).

Segundo um relatório da OMS de 2014, o Brasil estaria em 8º dentre os países com maior número de suicídios, e infelizmente os casos só aumentam, principalmente entre os jovens. O suicídio é a 2ª principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos, matando mais que a Aids e maioria dos tipos de câncer.

Entendeu a urgência, né?

Em tempos de reclusão, o número de pessoas com a saúde mental comprometida pode subir espantosamente. Nos últimos meses, a população como um todo têm sido impactada com a abrupta quebra de rotina promovida pela atual pandemia. Os efeitos das sobrecargas emocionais vindas do isolamento, da morte, do luto, da crise e do desemprego aumentam o risco de depressão, ansiedade e outras doenças, o que preocupa profissionais de saúde mental do mundo inteiro. Um deles é ninguém menos que o Dr. Shekhar Saxena, professor em Harvard e diretor do Departamento de Saúde Mental & Abuso de Substâncias da OMS, que teme uma nova e crítica onda de consequências na saúde mental global e afirma que ela precisa ser vista como uma dimensão contínua, possível de intervir em diferentes etapas, e não apenas no pico de um sintoma.

Na grande maioria das vezes, não sabemos pelo que o outro está passando: o diálogo, assim, pode ser poderoso em momentos que precisam de comunicação. A ABP afirma que o suicídio tem um sério impacto na vida de pelo menos outras 6 pessoas que estão em constante convívio – como na família, no trabalho e no círculo de amigos – e que as mesmas podem ter um papel fundamental na prevenção, prestando atenção na possível vítima e fornecendo um apoio emocional dentro de seu alcance para mostrar que não se está sozinho e que há com quem contar. Essas pessoas não vão ocupar o lugar de um especialista, mas o afeto e a atenção podem fazer muita diferença.

É importante, assim, ter a noção de quando buscar ou indicar apoio profissional adequado: pedir ou sugerir ajuda não é sinal de fraqueza, mas sim de coragem e cuidado. A psicoterapia, no entanto, não precisa ser procurada somente quando existem problemas na saúde mental, mas mesmo quando se está bem, caso a pessoa deseje, justamente para manter tal dimensão da saúde ou melhorá-la ainda mais.


Dedicamos nosso conteúdo de agosto à sustentabilidade, e dedicaremos o de setembro à saúde mental – tema desde sempre muito importante na nossa história, que segue sendo escrita.

A psicologia é a base primária da Talent Academy como uma plataforma que visa o autoconhecimento e desenvolvimento contínuos para o maior número de pessoas possível. Valorizamos enormemente a teoria, a prática e quem faz a psicologia acontecer e a saúde mental ser promovida, esta tão importante quanto a física e a social.

Como o já citado Dr. Shekhar Saxena escreve, não há saúde sem saúde mental.


📰Não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter no canto inferior direito da página para ficar atualizado(a), em primeira mão, sobre os nossos próximos conteúdos!

Links úteis:

setembroamarelo.com | Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Conselho Federal de Medicina (CFM)

setembroamarelo.org.br | Centro de Valorização da Vida (CVV)

Preventing Suicide: a global imperative | Organização Mundial da Saúde (OMS)

Depressão e suicídio devem marcar nova onda da Covid-19 | OGlobo

Como a pandemia contamina nossa saúde mental | OGlobo

Folha Informativa – Suicídio | Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS)

Leave a Comment

📍 Cubo
📞 +55 11 99810-2295 
📧 contato@talentacademy.com.br

Quer ficar por dentro dos conteúdos e novidades da Talent Academy? Inscreva-se gratuitamente abaixo: